Insegurança para estudantes: 40% dos transportes escolares têm irregularidades

Os órgãos de fiscalização estão de olho nos veículos do transporte escolar na Capital e no Interior. Com o retorno às aulas nas escolas, o movimento nas vias de Fortaleza voltou a ficar intenso nos horários de pico. Entre os veículos que contribuem para o inchaço no trânsito da Capital estão os transportes escolares.  No Interior, a maioria dos veículos presta serviço à rede municipal de ensino, e a vistoria fica a cargo do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Segundo o Detran, 40% dos carros inspecionados pelo órgão semanalmente apresentam irregularidades.

Em Fortaleza, até a última quarta-feira, de acordo com uma reportagem do Jornal Diário do Nordeste, edição desta sexta-feira, seis veículos haviam sido apreendidos por problemas de estrutura ou falta de permissão para executar o serviço, conforme o coordenador de fiscalização da Etufor, Márcio Carneiro.

Durante as abordagens, realizadas, neste mês, em 16 pontos da Capital; é verificado, além da estrutura dos veículos, o cumprimento dos requisitos pelos motoristas, como ter 21 anos de idade ou mais, ser habilitado na categoria D e possuir curso de formação para exercer a função. Caso o transportador seja cadastrado, mas flagrado em inconformidade com alguma das exigências, recebe um “laudo reprovado” e precisa pagar uma taxa de R$112,00 para se regularizar junto à Etufor.

Send this to a friend