5,7 milhões de idosos estão com o nome sujo

O número de idosos que estão com o nome sujo no Brasil chegou a 5,7 milhões em julho. 

Segundo levantamento do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) com a CNDL (confederação dos lojistas), a inadimplência para quem tem mais de 65 anos atinge cerca de 33% da população dessa faixa etária. 

A quantidade pode ser ainda maior, uma vez que, no Brasil, as pessoas com mais de 60 anos já são enquadradas como idosas. 

Deixar de pagar contas com os bancos representa mais da metade (52,9%) dos motivos que levaram o idoso a ter o CPF restrito. 

Contas de água e luz estão em segundo lugar no ranking (16%). 

Depois vêm as pendências com empresas de telefonia e TV (13,1%), comércio (12%) e outros (5,9%). 

 

Com informação do UOL