Após investigações, prefeito de Tauá luta para não ter o mandato cassado

Investigado pelo Ministério Público Estadual por má gestão dos recursos públicos e alvo de uma Comissão Processante da Câmara Municipal que o implica em irregularidades na aplicação das verbas do Município, o prefeito de Tauá, Carlos Windson, corre o risco de ter o mandato cassado.

A Comissão Processante aprovou, por dois votos a um, o relatório que aponta irregularidades na administração de Carlos Windson, como gastos elevados e baixa qualidade do transporte escolar, e descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. Votaram a favor do relatório da Comissão Processante, que aponta falhas, erros e descumprimento de leis, os vereadores Valdemar Júnior e Chico Neto. O presidente da Comissão, vereador Alaor Mota, se opôs a denúncia.

Após o encerramento das investigações e aprovação do relatório da Comissão Processante, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Tauá marcará a sessão para apreciar o pedido de cassação do mandato do prefeito Carlos Windson. Windson, sob a orientação do deputado estadual Audic Mota, estuda recursos à Justiça para escapar da cassação.

O assunto ganhou destaque no Bate Papo Político desta quinta-feira, 6.