Articulação de FHC pró-Huck gera ciúme no PSDB. Tasso ainda não se manifestou

A aproximação entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o apresentador de televisão Luciano Huck, que surge como pré-candidato ao Palácio do Planalto, está gerando desconforto e ciúmes dentro do PSDB. FHC tem avalizado as pretensões de Huck entrar na corrida presidencial, o vê como um nome novo e que pode ser trabalhado para ser apresentado como uma alternativa de centro nas eleições deste ano. O senador Tasso Jereissati, um dos nomes nacionais do PSDB, ainda não se manifestou sobre a  movimentação de Fernando Henrique Cardoso.

A ciumeira no PSDB com os conselhos dados por FHC a Luciano Huck está mais explícita: aliados Alckmin  decidiram cobrar ao ex-presidente explicações  sobre suas recentes manifestações favoráveis ao apresentador de televisão. Como tentativa de barrar o princípio de crise, Fernando Henrique, por telefone, segundo reportagem do Jornal O Globo, reafirmou apoio à Alckmin. À noite, porém, o ex-presidente estava jantando com Luciano Huck.

O rebuliço no PSDB acontece em meio às incertezas sobre a viabilidade de um nome tradicional para a sigla voltar ao Palácio do Planalto. Como bombeiro, o governador de São Paulo pediu calma a apoiadores e concordou que uma mensagem privada menos agressiva fosse enviada a FH. No e-mail, o líder tucano é questionado se continua apoiando Alckmin ou se prefere outro nome.

A gota-d’água foi uma entrevista de Fernando Henrique na terça-feira, na qual afirmou que uma candidatura de Huck seria boa para o Brasil, poderia “arejar” as eleições e “botar em perigo a política tradicional”. Segundo o ex-presidente, ‘’É bom ter gente como o Luciano porque precisa arejar, botar em perigo a política tradicional, mesmo que seja do meu partido’’. FHC foi além: “É preciso que ela seja desafiada por pessoas portadoras de ideias e processos políticos novos para que o próprio partido possa avançar. Está havendo sinal nessa direção’’.

Nos bastidores políticos, o estilo “morde e assopra” de Fernando Henrique tem causado constrangimento ao presidenciável do PSDB. A um mês de ser oficializado candidato ao Planalto — as prévias estão previstas para 11 de março —, Alckmin tem sua pré-campanha minada por especulações de que o apresentador poderia ser uma opção mais competitiva do que ele. Pesquisa Datafolha divulgada semana passada mostrou os dois com desempenhos parecidos. Alckmin chegou a 11% das intenções de voto, e Huck registrou 8%. O apresentador Luciano Huck tem convite para ser candidato a Presidente da República pelo PPS.