Baquit defende desarmamento. Duca quer porte de armas para ‘cidadão de bem’

O deputado estadual Osmar Baquit (PDT) defendeu, em pronunciamento, nesta quinta-feira (14), na Assembleia Legislativa, mais rigor do Estado no combate à violência e menos armas de fogo em circulação. Osmar se opõe à corrente de pensamento favorável a flexibilização do porte e da posse de armas. O debate no Legislativo do Ceará surge em meio aos desdobramentos da tragédia em São Paulo.

O pedetista expôs o seu pensamento após a repercussão do massacre dessa quarta-feira, na cidade de Suzano, estado de São Paulo, marcado por 10 mortos – dois atiradores disparam contra estudantes e funcionários da Escola Raul Brasil. Um dos atiradores, segundo a polícia, matou o comparsa da ação criminosa e depois tirou a própria vida. A tragédia chocou o País e reacendeu o debate sobre a liberação de armas

Eu sou a favor de desarmar. Eu acho que armando vamos aumentar o índice de violência“, disse Osmar Baquit, ao defender um Estado mais presente com ações sociais para enfrentamento da criminalidade. Baquit disse, ainda, que o estado precisa fortalecer as medidas de segurança para evitar o contrabando de armas e, assim, reduzir o número de armas de fogo nas mãos das pessoas.

Durante o pronunciamento de Osmar Baquit, o deputado estadual Manoel Duca defendeu a posse e o porte de armas nas mãos de cidadãos de bem que precisam se defender. “Vamos fazer igualdade: de arma pra arma. O cidadão de bem, com todos os pré-requisitos necessários pra que você possa portar uma arma, é justo o cidadão de bem poder se defender“, prega Duca, que exerce o sétimo mandato no Legislativo Estadual.

Compartilhe: