Bilhete encontrado em prisão aponta que líderes do PCC foram mortos pela própria facção

Um bilhete encontrado no presídio onde está a ‘Sintonia Final Geral’, a alta cúpula da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), reforça que Rogério Geremias de Simone, o ‘Gegê do Mangue’, 41, e Fabiano Alves de Souza, o ‘Paca’, 38, foram assassinados no Ceará a mando da própria organização.

A apreensão do bilhete foi confirmada pelo promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público de São Paulo, Lincoln Gakiya. O bilhete foi apreendido na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, que dá a entender que o assassinato foi a mando do PCC.

O bilhete foi trocado entre membros do PCC. No escrito, um detento contava: “Ontem fomos chamados em uma ideias, onde nosso irmão Cabelo Duro nos deixou ciente que o Fuminho mandou matar o GG e o Paka. Inclusive o irmão ‘Cabelo Duro’ e mais alguns irmãos são prova que os irmãos estavam roubando (sic)”.

‘Fuminho’, a que o bilhete se refere, é o apelido do traficante Gilberto Aparecido dos Santos, braço direito do chefe do PCC, Marco Willians Herbas Camacho, o ‘Marcola’, e que atua como um “gerente” da facção.