BNDES melhora condições de crédito a projetos de saneamento selecionados pelo Ministério das Cidades

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou melhorias nas condições de seus financiamentos para projetos em saneamento básico do setor público selecionados pelo programa Avançar Cidades – Saneamento, do Ministério das Cidades.
Com as mudanças aprovadas, a participação do Banco foi ampliada de 80% para até 95% do valor total do projeto — limitada a 100% dos itens financiáveis. Além disso, os juros e o prazo para pagamento são os melhores oferecidos pelo BNDES, variando entre 0,9% a.a. e 1,3% a.a. e chegando até 34 anos — incluído o período de carência — nos casos de investimentos acima de R$ 20 milhões, contratados diretamente com o Banco.
Informações sobre as condições financeiras e os critérios de apoio do BNDES aos projetos podem ser encontradas no endereço www.bndes.gov.br/avancar-saneamento.
Avançar
Criado pelo Ministério das Cidades, o programa Avançar Cidades – Saneamento visa financiar projetos de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos, manejo de águas pluviais, redução e controle de perdas, planos de saneamento e estudos e projetos.
Um processo de seleção pública está selecionando iniciativas do setor público na área de saneamento básico que serão financiadas pelo agente financeiro escolhido pelo proponente — o BNDES é uma das opções.
O prazo para proponentes cadastrarem cartas-consulta no sistema da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades (SNSA/MCIDADES) vai até o próximo dia 18 de junho.
Mais informações sobre o Avançar Cidades – Saneamento estão disponíveis em www.cidades.gov.br/regras-para-acesso-aos-recursos/avancar-cidades/89-secretaria-nacional-de-saneamento/5278-avancar-cidades-saneamento
— Essa é uma hipótese (desistir de sua pré-candidatura), da mesma forma que o Alvaro Dias quando sentou comigo falou que desistia também. Até porque você não pode sentar numa mesa querendo o apoio do outro sem dizer que pode apoiá-lo. Fica uma coisa um pouco incoerente.
O presidente da Câmara avaliou que o centro está nessa situação difícil porque no imaginário popular é o campo político que está associado ao presidente Michel Temer, cuja rejeição eleitoral chega a 92%.
— O campo vitorioso neste momento é o campo de oposição. Querendo ou não, no imaginário da sociedade o campo de centro direita está próximo ao presidente da República, que é quem será contestado nesta eleição — ponderou.
Com informações Assessoria de Comunicação BNDES