Capitão Wagner é pré-candidato

A oposição está se organizando para manter a unidade entre PSDB, PMDB, PR, SD, PMB e PSD na disputa ao Governo do Estado e ao Senado nas eleições de 2018. O deputado estadual Capitão Wagner (PR) prega a renovação dos quadros políticos e admite que, se o seu nome for consenso, representará a oposição como candidato à sucessão do Governador Camilo Santana (PT).

O Capitão Wagner, que saiu do segundo turno da eleição à Prefeitura de Fortaleza, em 2016, com 588.451 votos, está se pre-parando, com boa assesso-ria técnica e de marketing, para construir a candidatu-ra ao Governo do Estado. Ele afirma, porém, se outro nome da oposição – como Eunício Oliveira, Roberto

Pessoa, Domingos Filho ou Tasso Jereissati, tiver con-dições de fortalecer ainda mais o bloco oposicionista, abrirá mão da pré-candida-tura a governador. ‘’São quatro vagas. Temos nomes preparados.

Vamos construir a unidade’’, disse Wagner, ao conversar com os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almei-da. Ao ser entrevistado, nessa terça-feira, no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Grande Fortaleza + 22 emissoras no Interior), Wagner fez referência aos nomes dos senadores Eunício Oliveira e Tasso Jereissati, do presidente do Tribunal de Contas dos Mu-nicípios (TCM), Domingos Filho, e do vice-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, como opões à chapa majoritária da oposição em 2018. São quatro vagas majoritárias – gover-nador, vice-governa-dores e Senado. As duas vagas ao Senado ficam abertas com o encerramento do man-dato de Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT). Eunício tem duas op-ções: concorrer ao Governo do Estado ou disputar a reeleição. Pimentel, que está mais sintonizado com a oposição, se prepara para voltar à Câmara Federal.