Ceará já exportou US$ 1,6 em 2017

Ceará já exportou US$ 1,6 em 2017

valor das exportações cearenses apresentou crescimento, em outubro ,de 2,80% em relação a setembro, somando US$ 187,4 milhões, no maior valor desde maio (US$ 205,3 milhões). Já no acumulado de janeiro a outubro, o Ceará exportou US$ 1,6 bilhão, valor 69,94% superior ao verificado em igual período do ano passado. Assim como nos meses anteriores, o principal item exportado pelo Estado em outubro foram os produtos semimanufaturados de ferro ou aço não ligado, com US$ 88,7 milhões. No acumulado dos 10 primeiros meses do ano, as exportações desses produtos, produzidos pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), somaram US$ 807,4 milhões, o equivalente a 48,8% das exportações estaduais.

Melões na pauta

Os melões frescos também foram destaque da pauta de exportação cearense em outubro (US$ 16,1 milhões). Em plena safra no Nordeste, o melão fresco atingiu, em outubro, o maior volume exportado do ano, com o equivalente a 70,6% de todo o valor exportado pelo Estado de janeiro a outubro (US$ 22,7 milhões). Em setembro, o Ceará havia enviado US$ 5,6 milhões (24,5%). E a expectativa é de que, em novembro, o produto também se destaque na pauta cearense. Mas boa parte dessa produção vem de outros estados.

Impacto da CSP

Mesmo com a evolução das exportações, a balança comercial do Estado apresentou um déficit de US$ 10,2 milhões em outubro, após a segunda queda mensal consecutiva, e um déficit de US$ 287,4 milhões, no acumulado de janeiro a outubro. Mas a tendência é de que a balança cearense comece a apresentar superávits de forma consistente a partir de 2018, conforme a CSP aumente sua produção.

Complexo Solar

Localizado no Vale do Jaguaribe, no município de Quixeré, a construção do Complexo Solar de Apodi deverá empregar, em suas duas fases, 1,1 mil pessoas. A expectativa é que 40% da mão de obra seja da própria cidade. O Sine de Limoeiro do Norte é o responsável pelo processo de seleção, em sua maioria para ajudantes, auxiliares, eletricistas, montadores, motoristas, e técnicos em geral. A obra começou em 4 de outubro e deverá ser concluída até novembro de 2018. O empreendimento, com investimento de R$ 700 milhões, terá capacidade de geração de 162 MW.

Biogás

O Ceará terá o primeiro laboratório qualificado para análise de biogás e biometano, para atender uma exigência da ANP. Os materiais específicos à coleta do biogás serão fornecidos pela empresa Gás Natural Renovável (GNR Fortaleza) em parceria com a Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec).

Usina

Fruto de sociedade entre a Ecometano e o Grupo Marquise, através da Ecofor Ambiental, a GNR Fortaleza deve se tornar já no seu início de operação neste mês a segunda maior usina de produção de biometano do País, com capacidade de produção de até 150 mil m³ por dia. O gas captado e tratado na unidade é oriundo do Aterro Sanitário de Caucaia, que diariamente recebe cerca de 5, 5 mil toneladas de resíduos. Todo biometano produzido será comercializado com a CEGÁS para injeção na rede de distribuição da Grande Fortaleza.