Ceará soma US$ 1,27 bi em exportações em 2018

Com a economia em ritmo lento em todos os setores, os dados referentes às exportações no Ceará não deixam de ser animadores. Pelo segundo mês consecutivo, o Estado ultrapassou o recorde histórico nas exportações. O valor registrado em julho deste ano foi de US$ 247,1 milhões, pouco (1,8%) maior do que o contabilizado em junho, mas se comparado ao mesmo mês do ano passado, o montante cresceu 51,7%. As importações acompanharam o ritmo e cresceram 31,9% entre julho de 2017 e 2018, alcançando a marca de US$ 275,6 milhões. Os dados fazem parte do estudo Ceará em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC.  Na análise do valor exportado no acumulado do ano (janeiro a julho), o Ceará vendeu ao exterior mais de US$ 1,27 bilhão. Esse montante é 12,9% superior ao registrado em 2017 e o maior dos últimos 20 anos. Os resultados posicionaram o estado como o 3° maior exportador do Nordeste, ultrapassando Pernambuco, e ocupando a 14ª posição no ranking nacional.

Municípios

O Ceará Comex revela ainda que mais de 60% do total exportado pelo Ceará provém do município de São Gonçalo do Amarante, principalmente da forte produção do setor metalmecânico, além da presença da ZPE do Pecém.  As exportações da cidade saltaram 25,4% entre 2017 e 2018, chegando a marca de US$ 768,9 milhões. Outros destaques são Caucaia e Icapuí. A cidade da região metropolitana mais do que dobrou as suas exportações no acumulado entre 2017 e 2018, contabilizando US$ 45,3 milhões. Já o município de Icapuí cresceu mais de 280%, registrando um total de US$ 30,9 milhões, destaque para a produção de melões e melancias. As vendas externas de Sobral e Fortaleza exibiram quedas, de 1,8% e 14,1% respectivamente. Os dez maiores municípios exportadores do Ceará representam mais de 90% do total.  

Tio Sam

Os Estados Unidos mantêm o posto de principal destino das exportações totais cearenses, com um valor 57,4% superior ao do ano passado, passando de US$ 282,4 milhões para US$ 444,5 milhões. Essa cifra representa quase 35% de tudo que foi vendido ao exterior pelo Ceará. A parceria do Estado com países europeus também apresentou evolução em 2018. Países como Turquia (US$ 116,7 milhões), Alemanha (US$ 73,7 milhões), Polônia (US$ 56,4 milhões), Holanda (US$ 28,2 milhões) e Reino Unido (US$ 23,2 milhões) figuram entre os dez maiores compradores dos produtos cearenses. O Canadá se destacou com um aumento de 200%, nas exportações chegando à marca de US$ 55,2 milhões, comprando principalmente placas de aço, castanha de caju e água de coco.

IRPF

A Receita Federal creditou, nesta quarta-feira (15/08), R$ 83,1 milhões em contas bancárias de 53.267 cearenses. Desse total, 96%, ou 52.147 são declarantes do imposto de renda pessoa física 2018, totalizando R$ 79,7 milhões. A restituição fica disponível no banco por um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la pela internet ou diretamente no e-CAC, no link extrato de processamento da Dirpf.

Bebidas

O Ceará ocupa a terceira posição no ranking dos estados exportadores de bebidas com um total vendido de US$ 31,8 milhões, ficando atrás apenas de São Paulo e Paraná. Mesmo com esse alto valor, os resultados são 18,1% menores do que os do ano passado, quando, no mesmo período o Ceará vendeu externamente US$ 38,9 milhões. Dentre os produtos, a água de coco é que a mais se destaca. A bebida que, em 2017, não era exportada pelo Ceará, esse ano representa mais de 60% do total de bebidas comercializadas ao exterior, contabilizando US$ 19,1 milhões.