Ciro assume 2º posição entre eleitores do Distrito Federal. Bolsonaro lidera com folga

Candidato do PDT à Presidência da República, o cearense Ciro Gomes assumiu a segunda posição na preferência dos eleitores do Distrito Federal, superando Marina Silva, presidenciável da Rede Sustentabilidade. O candidato pedetista duplicou suas intenções de votos entre os eleitores da capital federal na pesquisa estimulada – pulou de 7,4% no levantamento realizado no mês passado, para 12,9% na pesquisa mais recente divulgada pelo Instituto Opinião Política.

Mesmo com o crescimento de Ciro, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, continua sendo o preferidos dos eleitores brasilienses na corrida pelo Palácio do Planalto. O capitão da reserva tem 34,8% das intenções de voto dos eleitores da capital federal na pesquisa estimulada, de acordo com o Instituto Opinião Política. Com isso, o presidenciável do PSL alcançou mais do que o dobro dos votos de Ciro, segundo colocado.

Vale lembrar que a sondagem, encomendada pelo Jornal Correio Braziliense, começou a ser feita um dia após o atentado contra Bolsonaro, esfaqueado durante um evento de campanha em Juiz de Fora (MG).

Em terceiro lugar está a candidata Marina Silva (Rede). A ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora aparece com 10,5% das intenções de voto. Ela é seguida pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). O petista registrou 6,9% das citações na pesquisa encomendada pelo Correio. Ontem à tarde, Haddad foi oficializado como candidato do Partido dos Trabalhadores para a corrida presidencial, em substituição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba desde 7 de abril, por condenação na Operação Lava-Jato.

O quinto colocado na pesquisa estimulada é o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), com 6,8% das intenções de voto. Henrique Meirelles (MDB) tem 2,9% das citações e João Amoêdo (Novo), 2,9%. O candidato do Podemos, Álvaro Dias, ficou com 2% dos votos, seguido por Guilherme Boulos (PSOL), que, segundo a sondagem do Correio, tem índice de 1,6%.

Nas últimas colocações aparecem os candidatos Cabo Daciolo (Patriota), apontado como preferido por 1,2% dos entrevistados, Vera Lúcia (PSTU), que conquistou 0,9% das citações, e João Goulart Filho (PPL), com 0,4% das intenções de voto. O último colocado do levantamento é José Maria Eymael (DC), com percentual de 0,2%. Ao todo, 3,4% dos entrevistados não souberam avaliar em quem pretendem votar e 10,6% declararam a intenção de votar nulo ou em branco.

Crescimento de Bolsonaro e Ciro

Em comparação com os desempenhos registrados na primeira pesquisa encomendada pelo Correio, Bolsonaro e Ciro Gomes foram os candidatos que mais cresceram. No mês passado, o representante do PSL tinha 27% das intenções de voto e, agora, depois de ser alvo de um atentado à faca, Bolsonaro ostenta índice de 34,8%.

Já as intenções de voto do ex-ministro da Fazenda e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, como foi dito, dobraram no período. O candidato do PDT tinha 7,4% no levantamento realizado no mês passado e, na pesquisa mais recente, aparece com 14,9%. A ampliação do potencial de Ciro coincide com a saída de Lula da corrida presidencial. Todos os outros candidatos ficaram com as intenções de voto praticamente estáveis entre os dois levantamentos e registraram oscilações de, no máximo, um ponto percentual.

Liderança também na espontânea

Na pesquisa espontânea, Jair Bolsonaro também está à frente dos adversários. O candidato do PSL tem 34% nesse levantamento e é o líder isolado entre os eleitores do Distrito Federal. Em segundo lugar está Ciro Gomes, com 10% das intenções de voto na sondagem espontânea — em que o eleitor cita voluntariamente seu nome de preferência para o Palácio do Planalto.

O ex-presidente Lula aparece na sequência, com 9% das citações, seguido por Marina Silva, preferida de 6% dos entrevistados, e por Geraldo Alckmin, que registrou 4,1% das citações na pesquisa espontânea. O petista Fernando Haddad aparece no levantamento, lembrado por 2,2% dos entrevistados. João Amoêdo, Henrique Meirelles, Alvaro Dias, Cabo Daciolo e Guilherme Boulos também tiveram menções na pesquisa espontânea.

Com informações do Jornal Correio Braziliense