Falta de soro antiofídico, em Jaguaruana, causa morte de agricultor

Agricultor identificado como Orlando do Zé Paulo, no município de Jaguaruana, região do Jaguaribe, acabou morrendo após ser picado por uma cobra. A falta de soro antiofídico no Hospital Nossa Senhora da Expectação é apontado como a possível causa da morte. O agricultor residia em Volta, zona rural de Jaguaruana, e veio a falecer na última segunda-feira, em Russas, após ser transferido de Jaguaruana.

Segundo informações do correspondente do Jornal Alerta Geral da região, Cid Ferreira, primeiro, Orlando se dirigiu ao hospital de Jaguaruana, mas, na unidade, não havia o soro. O homem foi, então, transferido para Russas, onde morreu logo depois de chegar. Um funcionário do hospital confirmou a falta do soro na unidade.

A eficiência do produto é grande, mas sua utilização precisa da ajuda de um especialista. O soro antiofídico disponibilizado no Brasil pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde é comprado de três laboratórios públicos, sendo o maior deles o paulista Butantan, responsável por metade da produção nacional.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a cada ano, 30 mil brasileiros são vítimas de picadas de cobra e, das vítimas, cerca de 2 mil têm reações graves e 300 morrem. A pequena proporção de óbitos esconde um elevado número de amputações e paralisias provocadas pelo envenenamento, frequentemente pela dificuldade para administrar o soro. 

Informações de Cid Ferreira
Compartilhe: