Frente Parlamentar Mista proposta por Salmito deve tratar da Pauta de Segurança

O vereador Salmito Filho (PDT), presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, anunciou, durante sessão ordinária nessa terça-feira, 13, a criação de uma Frente Parlamentar Mista de Segurança Pública, que vai envolver o Parlamento municipal, Assembleia Legislativa do Estado, Universidades, Movimentos da Juventude e representantes da Sociedade Civil. O objetivo da Frente é dar um basta nos altos índices de criminalidade em que a cidade de Fortaleza e o Estado do Ceará estão mergulhados.

Salmito, durante sua fala, destacou que só haverá uma Cultura de Paz no Brasil quando o País contar com uma política de Segurança Pública Nacional e diminuir os índices de Desigualdade Social. A Frente é uma resposta à chacina ocorrida na última semana no bairro Benfica, onde sete pessoas foram mortas e quatro ficaram feridas. A deliberação começou a ser articulada na segunda, 12, após reunião no Palácio da Abolição para discutir ações contra a violência.

Segundo Salmito, a crescente violência no Ceará não se resolve só com a polícia nas ruas. O desafio, para o parlamentar, é evitar que situações como a chacina no Benfica voltem a acontecer no Estado. “A população não quer ser uma vítima em potencial de um homicídio e isso não será resolvido com polícia. O que temos que discutir é como podemos evitar que isso aconteça, e nesse aspecto é que isso se mostra como um grande desafio, pois grande parte dos autores que praticam essas ações são jovens, que muitas vezes são seduzidos pelas facções”, pontuou.

A Frente, de acordo com Salmito, será articulada por ele e pelo deputado estadual Evandro Leitão (PDT), líder do Governo do Estado na Assembleia. A ideia é conhecer experiências bem-sucedidas de combate à violência e construir um relatório “técnico, para apresentarmos ao Governo do Estado do Ceará, à Prefeitura de Fortaleza, com representantes desses governos, das nossas universidades, e da sociedade civil”.

O presidente finalizou sua fala anunciando que a Câmara Municipal dará sua contribuição na pauta de Segurança Pública, justamente através da criação da Frente Parlamentar Mista. “A Câmara Municipal de Fortaleza pode sim fazer o debate sobre o papel do Município na Segurança e Cultura de Paz. Vamos criar uma Frente Parlamentar Mista e quero contar com todos os vereadores para unirmos forças e construirmos uma pauta e apresentarmos um relatório ao governador Camilo Santana”, ressaltou.

O que disseram outros parlamentares

O vereador Guilherme Sampaio (PT) também falou sobre o assunto e destacou a proposta do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de ampliar a punição para jovens infratores. Para ele, isso, junto à chacina na Capital, revela “o nosso fracasso diante do enfrentamento da violência”. Guilherme ainda fez críticas às Células de Proteção Comunitária, em instalação sob a liderança do vice-prefeito Moroni Torgan (DEM). “Não é papel da Prefeitura cumprir a função de Polícia”, disse.

O líder do Paço Municipal na Casa, Ésio Feitosa (PPL), defendeu a medida do Governo. Segundo ele, a crítica do petista era “um pouco injusta”. De acordo com o parlamentar, as células envolvem muito mais que apenas repressão, tendo uma série de políticas de geração de emprego, esporte, cultura e de requalificação urbana. “Essa iniciativa não visa apenas a repressão. Ela visa, primordialmente, a prevenção”, declarou.

O vereador Benigno Jr. (PSD), por sua vez, defendeu um aumento das penas em geral para crimes, mas declarou que políticas sociais também são importantes. Já Adriano Bento do partido Patriota usou a tribuna para defender que Segurança Pública deve ser feita com repressão. “Faz-se é com chibata muita. Porque, se for para alisar, fica desse jeito”.

Send this to a friend