O Vale Sagrado dos Incas

Hoje a coluna faz uma viagem a um dos lugares mais fascinantes da América do Sul – o Vale Sagrado dos Incas. As ruínas das cidades demonstram o poderio desse povo que dominou praticamente toda extensão dos Andes na América Pré-colombiana e possuía uma tecnologia que até hoje fascina o mundo. Construções feitas com pedras gigantescas, simplesmente encaixadas milimetricamente, além de um sistema político-social-econômico e religioso bem superior ao das populações da época.

O Vale Sagrado dos Incas, nos Andes peruano, fica próximo de Cuzco e Machu Picchu. A primeira, foi a capital do Império, também chamada de Eldorado pois reluzia ao longe o ouro que banhava suas construções, e que posteriormente foram dilapidadas pelos conquistadores espanhóis. A segunda era a cidade sagrada dos Incas, descoberta no século XX pelo professor norte-americano Hiram Bingham, que esteve a frente de uma expedição da Universidade de Yale, em 24 de julho de 1911.

O Vale conta com diversas cidades, entre elas Urubamba, a maior das cidades do vale, além de Pisaq, Ollantaytambo e Chinchero. São várias as opções de hotéis e restaurantes. O local é ponto obrigatório de parada para quem vai seguir para Machu Pichu. A viagem de ônibus ou trem a partir de Cuzco por todo o vale apresenta um cenário espetacular.

A distância de Cuzco ao Vale é de apenas 1 hora. A primeira parada é a vila de Pisaq, onde aos domingos e quintas-feiras, você pode visitar o colorido mercado local. Nessa parada é possível visitar estreitos terraços agrícolas, Q’allaqasa a fortaleza, a área residencial, e o templo Intihuatana sol, o centro religioso e observatório astronômico, encontrado no centro de cada cidade Inca.

Seguindo caminho, o viajante antes de chegar a Ollantaytambo, passa por várias pequenas cidades, como Coya, Lamay e Calca. Ollantaytambo foi erguida sobre bases de construções incas originais, ou seja, conserva planejamento urbano original do povo pré-colombiano.

A Fortaleza de Ollantaytambo foi a única que resistiu aos ataques espanhóis. De trem pode ser visitada a pequena vila andina de Chinchero. A localidade tem um mercado tradicional, que abre aos domingos e nas quintas. Mirantes apresentam uma vista maravilhosa do vale. Na praça principal, uma igreja católica do século 17, construída em cima de uma base que pode ter sido de um templo Inca ou um palácio.

Em cada localidade o viajante tem a oportunidade de observar a comunidade tradicional quechua, onde os descendentes dos Incas caminham entre casas de tijolos de barro com roupas tradicionais. São pequenas fazendas, terraços agrícolas incas, cidades e aldeias, e as antigas ruínas incas sob a mira do Pico nevado de Salkantay no horizonte.

COMO CHEGAR

De Fortaleza a Cuzco, o bilhete aéreo oscila ente R$2.000,00 a R$ 2.500,00.

ONDE FICAR

Amerinka Boutique Hotel (diária de R$ 149)

Palacio del Inka (diária R$ 835)

Belmond Hotel Monasterio (R$ 1.346)

JW Marriott El Convento Cusco (R$ 640)

El Dorado San Agustin (R$ 1.358)

Antares Mystic Hotel  (R$ 80)

Hotel Unumizu Cusco (R$ 157)

Tambo del Inka, a Luxury Collection Resort & Spa (R$ 582)

Casa del Sol Machupicchu (R$ 788)

Hotel Arqueologo Exclusive Selection (R$ 278)

SUMAQ Machu Picchu Hotel (R$ 983)

Los Apus Hotel & Mirador (R$ 213)

Sonesta Hotel Cusco (R$ 722)

Mirador de Santa Ana (R$ 126)

Tierra Viva Cusco Saphi (R$ 338)

ONDE COMER?

Crepería La Bo’M (Cozinha Francesa, Pub com restaurante)

Organika (Fusion, Peruana, Sul-americana)

Qucharitas (Peruana)

Green Point My Vegan Restaurant (Peruana)

Full House Peruvian Cuisine

(Peruana Latina. Bar. Pizza Internacional, adequado para vegetarianos. Opções sem glúten e opções veganas)

Mapacho Craft Beer & Restaurant (Peruana, sopa, adequado para vegetarianos. Opções veganas  e sem glúten)

The Tree House (Peruana Sul-americana Internacional Contemporânea e Fusion)

Indio Feliz Restaurant Bistro (Francesa, Peruana e Latina Sul-americana)

Incontri del pueblo Viejo (Italiana, Peruana, Pizza Sul-americana,  Contemporânea  e adequada para vegetarianos e veganos.

Chullpi Machupicchu Restaurante (Peruana, Latina, Adequado para vegetarianos)

Bistrot Le P’tit Paris (Francesa, peruana, europeia, sul-american. Adequado para vegetariano.

Full House Peruvian Cuisine (Peruana, Latina, Bar, Pizza, Internacional)

Mapacho Craft Beer & Restaurant (Peruana, sopa. Adequado para vegetarianos)

The Tree House (Peruana, sul-americana, internacional, contemporânea e

O QUE FAZER?

Machu Picchu, uma das novas Sete maravilhas do mundo. De Fortaleza a Cuzco a viagem de avião pode demorar de 10 a 18 horas, dependendo da companhia aérea, não há voos diretos, geralmente são duas paradas. De Cuzco ao Vale Sagrado o trecho pode ser feito por trem, ônibus ou carros de aluguel. Algumas companhias já vendem pacotes com ingressos para ônibus,  taxas de entrada para Machu Picchu.

Em Aguas Calientes o trajeto é feito por ônibus por uma estrada sinuosa até Machu Picchu, no meio de uma vista espetacular do Rio Urubamba e seu cânion.  Machu Pichu com seus terraços, santuários cerimoniais, escadarias e áreas urbanas fascina. A visita demora cerca de 2h30min. Uma boa câmera é fundamental para registrar as belas paisagens e os momentos inesquecíveis de visita ao local

Pacotes de visitas guiadas a Machu Pichu variam de R$168,22 a R$1.261,66. Já um dia de viagem de trem em excursão diurna saindo de Cuzco sai a partir de R$1.358,71.

Para quem gosta de aventura são oferecidos pacotes de percurso por trilhas  – o Inca Trail, com trilhas para caminhada, natureza e parques, e atividades ao ar livre, mas o preço é salgado, oscilando entre R$ 2.000,00 a 2.600,00.

Bem perto de Cuzco, a cidade de Saqsayhuaman era um destino religioso onde se festejava, a 21 de junho, o solstício de inverno ou Festa do Sol. Era onde se cultuava Pachacutec. O local possui muralhas d