Transtorno e dor de cabeça: preço dos 110 mil votos de Pedro Bezerra é alto para Arnon

O prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra (PTB), está enfrentando dias de turbulência para tentar provar que o filho Pedro Bezerra não se elegeu à Câmara Federal com o uso da máquina pública. Arnon paga um alto custo para explicar que os 110.030 votos obtidos pelo herdeiro político são fruto de uma liderança jovem e que, na campanha de 2018, com conteúdo e propostas, Pedro convenceu os eleitores a apoiá-lo por representar renovação de atos, ações e hábitos. 

As investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Eleitoral dão sinais de que, além desse discurso de renovação, o velho modelo político deu a substância necessária para Pedro Bezerra conquistar o primeiro mandato de deputado federal. A atuação do Ministério Público deixa motivos para o pai de Pedro, Arnon Bezerra, ter mais uma semana de preocupação. 

Arnon começou a terça-feira conversando com assessores sobre uma nova etapa das investigações que, mais uma vez, bateram à porta da Prefeitura de Juazeiro do Norte. Agora, com a decisão da Justiça ao determinar o afastamento, por 120 dias, da secretária de Educação do Município, Maria Loureto de Lima. 

O afastamento da secretária de Educação de Juazeiro do Norte, como conta, nesta terça-feira, em reportagem para o Jornal Alerta Geral, o correspondente Carlos Silva, foi pedido pelo Ministério Público Estadual com base em suspeitas de uso da máquina pública na campanha eleitoral de Pedro Bezerra. 

A decisão da Justiça joga mais holofotes sobre a administração Arnon Bezerra e do filho Pedro, que, no dia primeiro de fevereiro, tomará posse na Câmara Federal sob o olhar desconfiado de muitos que o esperam cumprir o mandato sem ser molestado pela ameaça de cassação ou punição no âmbito da Justiça Eleitoral.

O assunto ganhou destaque no Bate Papo Político, no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), com as análises dos jornalistas Beto Almeida e Luzenor de Oliveira, na edição desta terça-feira (22).

O correspondente do Jornal Alerta Geral, Carlos Silva, relata as ações que levaram ao afastamento da secretária de educação e a preocupação de Arnon Bezerra com o futuro político do filho Pedro:

Leia a Anterior

Just how to Create a DBQ Essay

Leia a Próxima

Oito dos 12 policiais afastados na Tragédia de Milagres voltam às atividades