Advogada Priscila Brito, no Alerta Geral, fala sobre presença feminina na política

Priscila disse, ainda, que, além da cota e do financiamento, há outro aspecto garantido para as mulheres na mesma proporcionalidade

Foto: Câmara dos Deputados – 2016

A advogada Priscila Brito, em seu comentário no Jornal Alerta Geral, destaca as condições para a participação das mulheres na política, enfatiza a cota de 30% de vagas dos partidos para as candidaturas femininas e lemba que, com esse espaço, o financiamento das campanhas é na mesma proporção. Ou seja, os recursos do fundo eleitoral devem ser destinados, em 30%, para a campanha das mulheres que entram na corrida eleitoral.

Priscila disse, ainda, que, além da cota e do financiamento, há outro aspecto garantido para as mulheres na mesma proporcionalidade: o espaço na propagada do rádio e da televisão. Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, ao conversarem sobre o conteúdo do comentário da advogada Priscila Brito, que dá ênfase, também, ao quociente eleitoral – cálculo para partidos elegerem representantes ao Legislativo, destacam que as mulheres precisam ser estimuladas a entrar na política.

Luzenor chegou a sugerir a hastag #maismulheresnapolitica como estímulo para as candidaturas femininas ocuparem mais espaços nas eleições de 2020. Ele afirmou, também, que, embora as eleições estejam bem distantes, essa preparação para atrair as candidaturas das mulheres deve começar agora. As eleições para as Prefeituras e Câmaras Municipais ainda não começaram mas já despertam o interesse dos agentes políticos que esperam participar do pleito.

Acompanhe a análise completa da advogada Priscila Brito:

Leia a Anterior

Comércio varejista recua 0,6% de março para abril, diz IBGE

Leia a Próxima

Leão tenta afastar o fantasma da derrota e encara o Cruzeiro antes da pausa para a Copa