Arrastão de Domingos Filho para engordar PSD abre guerra nos bastidores políticos

O ex-vice-governador se transforma em alvo de críticas de adversários políticos que veem bases aliadas no Interior serem assediadas pelo líder estadual do PSD. A reação a Domingos agrada ao Palácio da Abolição e à cúpula estadual do PDT.

Os bastidores políticos andam agitados com a reação de vários deputados estaduais ao arrastão do ex-vice-governador Domingos Filho para engordar o PSD com prefeitos, ex-prefeitos e pré-candidatos a prefeito de cidades do Interior e da Grande Fortaleza ligados ao MDB, PP, PDT, PSB, PL, Solidariedade e PSDB.

Domingos se transformou em alvo de um duro pronunciamento do deputado Audic Mota que, como porta voz de diferentes correntes partidárias, foi para cima do ex-vice-governador para denunciá-lo por tráfico de influencia e fazer promessas de liberação de recursos do Orçamento da União aos futuros aliados que se filiassem ao PSD.

O caminho para a viabilização desses recursos é o deputado federal Domingos Neto, líder do PSD na Câmara Federal e relator do Orçamento da União de 2020. Os deputados estaduais perderam aliados em suas bases políticas com o que chamam de assédio de Domingos Filho e Domingos Neto.

A pressa e o arrastão de Domingos Filho geraram incômodos ao Governo do Estado, ao grupo político dos irmãos Cid e Ciro Gomes e provocaram a ira do ex-senador Eunício Oliveira, do MDB, a sigla mais desfalcada com as investidas da Família Aguiar que comanda o PSD.

A reação à volúpia de Domingos Filho, em ampliar as bases do PSD o mais rápido possível, chegou na mesma velocidade ao plenário da Assembleia Legislativa, com um pronunciamento do deputado estadual Audic Mota. Audic narra os fatos, o descontentamento de lideranças partidárias e as promessas de liberação de recursos do Orçamento da União como moeda de troca para o PSD ganhar musculatura.

As primeiras reações foram expostas pelo presidente regional do Solidariedade, Genecias Noronha, que comparou as promessas de liberação de dinheiro para os municípios dos prefeitos filiados ao PSD à venda de terreno na lua. Domingos retrucou e debochou ao dizer que pior do que vender terreno na lula seria vender terreno alheio. Domingos ainda afirmou que aqueles que, hoje, falam sobre o crescimento do PSD o fizeram, por meio do poder político, no caso do MDB, e do poder econômico, no caso do Solidariedade.

A reação à volúpia de Domingos Filho, em ampliar as bases do PSD o mais rápido possível, chegou na mesma velocidade ao plenário da Assembleia Legislativa, com um pronunciamento do deputado estadual Audic Mota. Audic narra os fatos, o descontentamento de lideranças partidárias e as promessas de liberação de recursos do orçamento da União como moeda de troca para Domingos fortalecer o PSD. A assessoria de comunicação do PSD não enviou a este site, até momento, nenhuma nota com declarações de Domingos Filho sobre as criticas e denúncias dos deputados estaduais.

O Jornal Alerta Geral, que começa às 7 horas da manhã, conta, nesta segunda-feira (4), os bastidores políticos da guerra aberta entre aliados do Governo do Estado e o presidente regional do PSD, Domingos Filho. Uma guerra que ganhou um novo capítulo com as eleições suplementares em Tianguá e Irauçuba e atraiu para o campo de batalha o ex-presidente da Assembleia Legislativa e atual Secretário de Cidades do Estado, Zezinho Albuquerque. Um detalhe nessa trincheira da guerra: Zezinho articulou o pronunciamento de Audic Mota.

Gerado pela Rádio FM 104.3 – Grande Fortaleza, e retransmitido para outras 26 emissoras no Interior e pelas redes sociais do cearaagora, o Jornal Alerta Geral tem o comando do jornalista Luzenor de Oliveira e comentários do jornalista Beto Almeida.

 

Leia a Anterior

Média mensal de assaltos a ônibus na Grande Fortaleza cai 63% em nove meses

Leia a Próxima

Prédio é evacuado após apartamento pegar fogo