Arrastão de Domingos Filho tem troco e adversários se unem para denunciá-lo

Desafetos políticos atingidos pela fúria de Domingos Filho, que tirou prefeitos e lideranças municipais de outros partidos para se filiarem ao PSD, romperam o silêncio, o denunciaram, nesta sexta-feira, por tráfico de influência, o chamaram de traidor e o qualificaram de ingrato

A ampliação das bases do PSD com a promessa de viabilização de recursos do Governo Federal para os futuros aliados – como, por exemplo, prefeitos, provocou reação de desafetos políticos atingidos diretamente pelo arrastão do ex-vice-governador Domingos Filho que, nesta sexta-feira, foi alvo de insinuações, ataques e denúncias na Assembleia Legislativa.

O deputado estadual Audic Mota (PSB) usou palavras ácidas para atacar o presidente Regional do PSD, que é pai do deputado federal Domingos Neto, relator-geral do Orçamento da União de 2020. É, justamente, o corredor orçamentário que, segundo os parlamentares, foi usado para atrair novos filiados ao PSD. As investidas de Domingos Filho foram mais fortes contra o MDB, passaram pelo PSB, PT, PDT, PSDB, PRB e PL.

O pronunciamento de Audic uniu adversários políticos, provocou o sorriso de quem não teve coragem de responder ao avanço de Domingos Filho e agradou aos aliados mais próximos do governador Camilo Santana (PT) e dos irmãos Cid e Ciro Gomes (PDT). Ao longo do dia, Domingos optou pelo silêncio. A esposa, Patrícia, que é deputada estadual, não apareceu pela manhã na Assembleia Legislativa para responder aos ataques dos colegas parlamentares ao marido.

INGRATO E TRAIDOR
Audic, que fez o pronunciamento após uma entrevista do deputado estadual Leonardo Araújo (MDB), inimigo do ex-vice-governador, uniu os deputados estaduais Tin Gomes (PDT), Carlos Felipe (PC do B), Edilardo Eufrásio (MDB), Vitor Valim (PROS),  Aderlânia Noronha (SD) e Daniel Oliveira (MDB) que confirmaram o assédio para aliados aceitarem o convite de Domingos Filho com a promessa  de que os recursos da União chegariam ou chegarão aos cofres dos Municípios administrados pelos novos filiados ao PSD.

Domingos recebeu a pecha de ingrato, foi acusado de traidor e de usar o tráfico de influência com o filho relator do Orçamento da União para esvaziar bases políticas de adversários e levar prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e pré-candidatos a prefeito nas eleições de 2020 para os quadros do PSD. Um arrastão, na avaliação dos desafetos políticos, para quem quer ser candidato a governador, vice-governador ou a senador nas eleições de 2022.

O deputado estadual Vitor Valim definiu como graves as denúncias sobre a negociação de emendas parlamentares ao Orçamento da União e pediu investigações das declarações feitas, em entrevista à Rádio Assunção, pelo deputado Leonardo Araújo.

O deputado Edilardo Eufrásio, do MDB, que recebeu convite de Domingos para entrar no PSD, expôs frustração por imaginar que, com um cearense na relatoria do Orçamento, todos os municípios do Ceará seriam contemplados com os recursos da União, a exemplo do que fez, quando presidente do Congresso Nacional, o então senador Eunício Oliveira (MDB).

O deputado estadual Tin Gomes (PDT) confirmou o assédio da família Aguiar a integrantes do seu grupo político, enquanto a deputada Aderlânia Noronha (SD) rebateu as acusações de Domingos Filho de que, ao longo da existência, o Solidariedade, comandado pelo deputado federal Genecias Noronha, esposa de Aderlânia, tinha o braço econômico para atrair aliados.

As palavras de Domingos foram dadas como resposta a Genecias, que chegou a classificar as promessas de liberação de dinheiro do Orçamento da União à venda de terreno na Lua. Se o SD agia nessa linha, para Domingos, o MDB cresceu com o poder político nas mãos de Eunício Oliveira.

Sobrinho de Eunício, o deputado Daniel Oliveira chamou Domingos de traidor e ingrato, e elogiou o pronunciamento do colega Audic Mota. Daniel lembrou que Domingos conquistou a presidência da Assembleia com articulações de Eunício, a quem vivia elogiando e a quem implorou, nas eleições de 2018, para ajudar a reeleger o filho Domingos Neto.

Segundo Daniel, Eunício conseguiu apoio de prefeitos para a reeleição de Domingos Neto, mas, poucos dias após ser derrotado na tentativa de reeleição ao Senado, foi surpreendido com as informações de que Domingos Filho estava convido os prefeitos do MDB para ingressarem no PSD. Um comportamento que, segundo o emedebista, retrata ingratidão.

Abaixo você confere a integra do pronunciamento do deputado estadual Audic Mota com os apartes dos colegas parlamentares com criticas ao arrastão de Domingos Filho para ampliar as bases do PSD:

 

Leia a Anterior

Confira as manchetes das principais revistas brasileiras

Leia a Próxima

VLT de Fortaleza inicia fase de testes entre as estações Papicu e Mucuripe