Cadastro Nacional contabiliza 12 mil adoções em 11 anos

Sistema de contabilização de dados registra milhares de adoções em apenas 11 anos

Processo de adoção cresce no pais, mas ainda sofre com burocracia

Criado em 2008, o Sistema Nacional de Cadastro Integrado somou 12 mil adoções somente neste período. Fundado por meio da Resolução 54/2008, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o cadastro conta atualmente com 45.923 pretendentes cadastrados e 9.566 crianças e adolescentes na espera pela adoção.

Com o intuito de mapear e arquivar os dados de todas as instituições do Brasil referente a crianças e adolescentes disponíveis para o processo de adoção, o CNA é alimentado todos os dias por juízes e pelas Corregedorias-Gerais da Justiça.

O acesso a informações sobre o volume de crianças e instituições acolhedoras é público e pode ser feito através do site da CNJ ou no site da TJES  clicando em “estatísticas públicas”.

Ceará

No Ceará são mais de 1.200 crianças e adolescentes sem família, vivendo em casas de acolhimento cearenses. Destas, pouco mais de 150 estão disponíveis no Cadastro Nacional de Acolhimento, além disso 600 pessoas aguardam o fim de processo burocráticos para ter um filho. No ano de 2018, foram adotados 11 bebês com um ano de idade, 11 com um, seis com pouco mais de 2 e 11 crianças com 3 anos, totalizando 39 adoções conforme dados do Ministério Público do Ceará (MPCE).

Leia a Anterior

Fortaleza está entre os principais municípios com risco de surto de dengue, zika e chikunguny

Leia a Próxima

STF veta regra da reforma trabalhista e proíbe grávida em local insalubre