Bate Papo: Camilo tem café da manhã, nesta terça, com atuais e novos deputados estaduais

O governador reeleito Camilo Santana (PT) recebe, nesta terça-feira, 23, a partir das 8 horas, na residência oficial do chefe do Executivo estadual, os atuais e novos deputados estaduais eleitos. Este será o primeiro encontro de Camilo com os parlamentares após as eleições de 7 de outubro. O assunto foi destaque no Bate Papo Político da edição desta terça do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior).

Camilo, que conquistou a reeleição no primeiro turno, saiu das urnas com, pelo menos, 39 deputados estaduais eleitos na base de apoio na Assembleia Legislativa. A maior bancada pertence ao PDT, com 14 parlamentares.

O cerimonial do Palácio da Abolição emitiu convite para os 46 deputados estaduais. Dos novos parlamentares que assumem o mandato em 2018, seis estão em partidos de oposição e um (Heitor Férrer) foi eleito pelo SD – sigla que integrava a coligação de Camilo Santana. Heitor, no entanto, sempre atuou como crítico das administrações estaduais.

Camilo Santana vai conversar com os deputados estaduais, dará informações sobre a situação econômica e financeira do Estado, destacando a necessidade de enxugamento da máquina administrativa e, também, sobre os novos projetos a serem desenvolvidos nos próximos quatro anos.

Há, porém, uma preocupação: Camilo quer aprovar, nesses próximos dois meses, mensagens com mudanças na estrutura administrativa do Estado. A reforma administrativa passa por fusão, incorporação e extinção de pastas e órgãos. A ordem é enxugar e reduzir despesas. A ideia no Palácio da Abolição é que a reforma seja feita ainda neste ano e implantada a partir do dia primeiro de janeiro de 2019, data que também marca o início do segundo mandato de Camilo.

Confira quem compõe a bancada de Oposição ao segundo governo Camilo:

André Fernandes (PSL)

Delegado Cavalcante  (PSL)

Fernanda Pessoa (PSDB)

Nelinho (PSDB)

Soldado Noélio (PROS)

Vitor Valim (PROS)

Heitor Férrer (SD)

Renato Roseno (PSOL)

Saiba mais:
+ Assembleia Legislativa tem nova composição a partir de 2019

Os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida comentaram o assunto. Para Beto, a oposição na Assembleia Legislativa no segundo mandato do governador Camilo Santana deve ser mais “barulhenta” do que a de seu primeiro mandato. Beto, inclusive, cita o nome do deputado eleito pelo PSL, André Fernandes. O agora deputado estadual foi o mais votado nas eleições deste ano e é simpatizante e defensor do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro.

Beto lembra que Camilo, com 39 deputados compondo sua base aliada, não terá dificuldades para aprovar seus projetos na Casa, mas a oposição, entretanto, pode utilizar seu tempo na tribuna para criar fatos políticos que vão demandar da base de Camilo explicações durante o seu segundo mandato.

Luzenor e Beto também comentaram sobre a necessidade que a reforma administrativa tem para o enxugamento da máquina e citaram o contexto nacional. Os dois se perguntaram como ficará a relação entre o Governo do Ceará e um possível governo Bolsonaro, líder das pesquisas de intenção de votos.

O jornalista Luzenor de Oliveira lembra que o governador Camilo Santana terá uma maior resistência para conseguir verbas federais para o Estado, caso Bolsonaro chegue no poder. E o pior: não tem um nome que possa fazer uma “ponte” entre o Governo Estadual e um possível governo do candidato Bolsonaro. Luzenor pontua que Camilo ainda perderá um importante aliado em Brasília, a partir do dia 1º de janeiro de 2019: o senador Eunício Oliveira (MDB), presidente do Congresso Nacional, que não conseguiu se reeleger no pleito deste ano.

O jornalista destacou que Camilo está preocupado com o assunto, por isso tem mantido agenda intensa em Brasília, em busca de viabilizar convênios e empréstimos com bancos internacionais, que dependem da aprovação do Congresso Nacional para serem acertados e oficializados. Para Luzenor, o objetivo de Camilo é “arrancar tudo que é possível” por parte da União nos últimos 60 dias de seu primeiro mandato, para evitar que seu próximo quadriênio como chefe do Executivo estadual não comece em dificuldades.

Leia mais:
+ Com articulação de Eunício, Camilo consegue R$ 260 milhões para investimentos no CE

Abaixo os outros destaques do Bate Papo Político desta terça-feira:

– Brasil cria 137,3 mil vagas de emprego formal em setembro, aponta Caged

O Brasil gerou, em setembro, 137.336 empregos com carteira assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregos (Caged), divulgados nesta segunda-feira, 22, pelo Ministério do Trabalho. Este é o melhor resultado para o mês em cinco anos e representa um crescimento anual de 0,36%.

De janeiro a setembro, foram criados 719.089 postos de trabalho formal em todo o país. O setor de serviços, com a contratação líquida de 60.961 pessoas, liderou a abertura de vagas em setembro, seguido pela indústria (37.449), comércio (26.685) e construção civil (12.481). Apenas o setor agropecuário teve queda de postos de trabalhos (-2.688). Segundo o Caged, o salário de admissão de novos empregados caiu 1,73% em setembro ante com agosto de R$ 1.543,63, na média, para R$ 1.516,89.

– R$ 3 bilhões em debate

O destino de R$ 3 bilhões para os municípios do Ceará entra em debate. O dinheiro corresponde a diferença das verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) que o Governo Federal está repassando para os Municípios do Ceará.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) realiza, nessa quarta-feira, 24, a partir das 9 horas, em Fortaleza, audiência pública para avaliar quais medidas devem ser adotadas para a aplicação dessas verbas. O debate acontece na sede do TCE e terá a participação de representantes da Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público Estadual e Federal, além de sindicatos de servidores e professores.

A aplicação desses recursos que já se encontram nos cofres de muitas cidades cearenses gera polêmica e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) chegou a determinar que as verbas não devem ser usadas para o pagamento de honorários de advogados autores das ações para os Municípios receberem a grana do Governo Federal. Dada a importância do tema, os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida conversaram com o conselheiro do TCE, Itarcir Todero, na edição desta terça do Jornal Alerta Geral. Saiba mais sobre o assunto clicando no link abaixo:

+ TCE debate destino de R$ 3 bilhões do Fundef. Parte das verbas está bloqueada

Gostou do que foi debatido no Bate Papo Político de hoje? Então clica no player abaixo e ouça as análises dos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida na íntegra!

BATE PAPO 23.10.2018

Leia a Anterior

Polícia prende estelionatários que deram golpe de R$ 400 mil em Fortaleza

Leia a Próxima

Bolsonaro volta a defender coronel Ustra e afirma que não dialogaria com Haddad