Ceará é primeiro estado a lançar programa de valorização dos supervisores de residência em saúde

O Governo do Ceará lançou nesta terça-feira (03), na Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE), o Programa de Valorização da Supervisão de Residências em Saúde do Ceará, o primeiro no Brasil. Atualmente, o Estado conta com 155 supervisores divididos entre os programas de Residência Médica (Resmed) e de Residência Multiprofissional em Saúde (Resmulti) da ESP-CE.

Camilo Santana destacou que o Estado espera melhorar o grau de satisfação da população com os serviços prestados através desse trabalho de reconhecimento e valorização implementado hoje.

Estamos lançando um programa pioneiro no Brasil de valorização dos supervisores das residências de saúde. Temos residência médica e de multiprofissionais no Ceará e sempre há supervisores para acompanhá-las. Agora, vamos qualificar esses supervisores, interiorizar mais, estimular e incentivar com um único objetivo: ter cada vez mais profissionais qualificados para aquela demanda regionalizada ou aquela área de saúde específica, disse.

Com caráter inovador, o projeto procura melhorar a sistematização e valorização dos trabalhos de supervisão. O governador enfatizou ainda que a metodologia aplicada para alcançar os objetivos traçados levará em conta os números apresentados.

A Escola de Saúde Pública tem a missão de coordenar esse trabalho do ponto de vista da inteligência, do acompanhamento dos indicadores, da qualidade e da formação. O grande resultado que queremos é que a população seja melhor atendida, cada vez mais qualificando o atendimento na saúde, no acolhimento, na humanização e no nível de profissionalização, informou Camilo.

O programa integra as ações planejadas para compor a Plataforma de Modernização da Saúde no Ceará, lançada no último mês de agosto. Para o secretário da Saúde, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto), o resultado final do planejamento passa fundamentalmente pelas pessoas.

Desde o começo a gente tem dito que vamos trabalhar com foco no cidadão e para isso é preciso discutir e valorizar o processo de trabalho. Isso aqui é uma semente dentro do processo que acreditamos, que tem como fundamento básico o conhecimento como metodologia de transformação da realidade social. A saúde é um grande vetor de desenvolvimento social e nós entendemos que o trabalhador de saúde tem um papel fundamental nisso. Essa é a principal motivação de nós estarmos aqui, enfatizou Dr. Cabeto.

Ganho operacional e de serviço

Nos últimos quatro anos, o Governo do Ceará formou 1.149 médicos residentes em mais de 50 especialidades e que hoje estão atuando em 40 municípios cearenses. Neste mesmo período, outros 654 profissionais da saúde de profissões diferentes (Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Odontologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional) se formaram no Programa de Residência Multiprofissional, trabalhando atualmente em 17 cidades do estado.

Leia a Anterior

Impacto do vazamento de óleo nas praias será tema de audiência pública

Leia a Próxima

Crise ambiental: vestígios de manchas de óleo ainda são encontrados em seis pontos do Ceará