CPMF: Bolsonaro pediu para a contribuição não entrar na reforma tributária

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (13) que o presidente Jair Bolsonaro telefonou para ele do hospital, “entubado”, para dizer que não quer a criação de uma nova Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Estávamos simulando um imposto de transação financeira, só que o presidente sempre foi contra esse imposto e pediu pra não colocar, afirmou Guedes em entrevista a correspondentes estrangeiros no Rio de Janeiro, da qual a Reuters participou.

O ministro confirmou que a equipe econômica trabalhava com uma alíquota de 0,4% para o tributo sobre pagamentos, mas, mostrando irritação, afirmou que os números não deveriam ter sido levados a público ainda.

De acordo com Guedes, o ex-secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, exonerado esta semana, já havia pedido para deixar o cargo “inúmeras vezes” por achar que estava atrapalhando o governo.

Eu dizia: se você tiver que cair um dia que caia junto com o imposto, afirmou Guedes.

Leia a Anterior

Aprovada prioridade de matrícula escolar para filhos de vítimas de violência doméstica

Leia a Próxima

Governo do Ceará autoriza reforma e ampliação do terminal rodoviário de Senador Pompeu