Decreto de armas: presidente da Câmara dos Deputados afirma que a Casa deve seguir a decisão do Senado

Foto: Reprodução.

A expectativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é de que a Casa deve seguir a decisão do Senado e derrubar o decreto de Bolsonaro que flexibiliza o porte de armas. O presidente da Câmara afirmou nesta segunda-feira (24), que alguns pontos do decreto devem ser aprovados por meio de projetos de lei.

“Depois da decisão do Senado de derrubar o decreto de armas, na minha opinião esse pode ser o caminho da Câmara. Mas nós entendemos sob a liderança do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que existem alguns pontos que são constitucionais e precisam ser tratados por lei”, afirmou durante podcast publicado em suas redes sociais nesta manhã.

Maia diz que articula com o Senado a aprovação de pontos como a ampliação da posse rural de armas para toda a propriedade e não apenas na sede e a flexibilização para colecionadores. O presidente da Câmara voltou a afirmar que espera votar a reforma da Previdência ainda nesta semana na comissão especial e aprovar o texto no plenário no mês de julho.

Outro projeto considerado prioritário é o marco do saneamento, que foi aprovado pelo Senado. Maia disse que quer votar no projeto ainda neste semestre ou na primeira semana de agosto, mesmo com prazo curto para votações , devido as festividades de São João que devem esvaziar  o plenário nesta semana. Além disso, há o recesso parlamentar nas duas últimas semanas de julho.

Maia diz ainda que quer instalar a comissão especial que analisará a reforma tributária nesta semana. O colegiado já foi criado, mas não está em funcionamento. A ideia é que comece a tramitar logo que a Previdência saia da fase de comissão, para não haver conflito com as duas propostas.

Leia a Anterior

Operação Saratoga: Ministério Público do Ceará cumpre 68 mandados contra organização criminosa

Leia a Próxima

Polícia de Canindé realiza quatro mandados de busca e apreensão pela morte do Vigia da Prefeitura do município