Estudantes, professores e trabalhadores da Educação voltam às ruas contra corte de verbas

Cearenses se reúnem a partir das 14h, na Praça da Gentilândia, no Benfica

Estudantes e professores fecham a Avenida da Universidade, dia 17 de maio / Foto: Reprodução

Estudantes, professores e trabalhadores ligados à educação voltam às ruas nesta quinta-feira (30) contra o corte de verbas anunciado pelo Governo Federal nas universidades e institutos federais. Na Capital cearense, os grupos se reúnem a partir das 14h, na Praça da Gentilândia, no Benfica.

No Ceará, o corte de verbas atinge diretamente o funcionamento da Universidade Federal do Ceará, da Universidade Federal do Cariri e da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

+ Luz amarela nas universidades do Ceará.

De acordo com um levantamento da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), cerca de 150 cidades terão manifestações e a diversidade de manifestantes do último dia 15 deve se repetir: secundaristas, universitários, pós-graduandos, professores e trabalhadores.

Além da pauta da Educação, as manifestações desta quinta também colocam em pauta a reforma da Previdência e a greve geral, marcada para 14 de junho. Na Capital, em evento criado no Facebook – com quase 8.000 pessoas demonstrando algum tipo de interesse -, os organizadores fizeram o convite.

Na próxima semana continuaremos mobilizados nas universidades, institutos federais e escolas. Continuaremos indo às praças apresentar nossas pesquisas e dialogar com a população, organizando novas assembleias e aulas públicas.

Leia a Anterior

Número de mortes por policiais no Ceará cresce 439% em seis anos

Leia a Próxima

Disputa territorial entre os estados do Ceará e Piauí tem novo capítulo no Supremo