Expectativa sobre decisão de Ciro: Haddad espera apoio que pode ser determinante

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, aposta no apoio do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) como determinante para uma virada no segundo turno contra o adversário Jair Bolsonaro. “Com Ciro (Gomes) a virada será mais fácil’, disse Haddad, nessa quinta-feira, 25, em Recife.

Ciro desembarca na noite desta sexta-feira, em Fortaleza, e gera expectativas sobre qual declaração dará após os apelos do comando da campanha do petista. Um grupo de militantes e filiados ao PDT, mobilizados pelo senador eleito Cid Gomes, estará no Aeroporto Pinto Martins para recepcionar Ciro Gomes.

Haddad alimenta a expectativa para receber uma sinalização de Ciro. “Até minha mulher está com ciúme do Ciro de tanto aceno que eu faço para ele. Eu vou continuar fazendo aceno porque eu gosto do Brasil acima de tudo. Não é com arrogância que nós vamos enfrentar o desafio que está posto. Vamos fazer um governo amplo, de unidade nacional, democrático e policial”, expôs o candidato do PT.

Os aliados de Fernando Haddad demonstram ainda mais entusiasmo após a pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada, nessa quinta-feira, e que mostra uma queda de seis pontos na diferença entre Bolsonaro e Haddad. Pelos números, Bolsonaro tem 56% dos votos e Haddad, 44%.

A pouco menos de 48 horas para início da votação no segundo turno, Fernando Haddad faz o seu último giro no Nordeste antes de encerrar a campanha em São Paulo. O petista disse estar confiante na vitória. Segundo Haddad, há uma tendência de virada que começou pelo Sudeste.

O Datafolha divulgou nessa quinta-feira, 25, sua pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República nas eleições 2018. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 56% das intenções de voto, enquanto seu adversário, Fernando Haddad (PT), aparece com 44%. Na comparação com o último Datafolha, a diferença entre os candidatos diminuiu de 18 pontos porcentuais para 12 pontos em uma semana.

Leia a Anterior

Câmara Municipal de Caucaia aprova remanejamento de dotações para 50% em 2019

Leia a Próxima

Na reta final, Bolsonaro e Haddad afinam os últimos detalhes