Falência da “Monsenhor Tabosa”, um esqueleto carregado pelo prefeito Roberto Cláudio, alerta Carlos Alberto Alencar

Carlos considera que, embora muitos estabelecimentos tenham sido fechados por conta da crise econômica, a prefeitura nada fez para revitalizar a Avenida

Avenida Monsenhor Tabosa, em Fortaleza / Foto: Carlos Alberto Alencar

O fechamento de quase 80% das lojas na Avenida Monsenhor Tabosa – um dos mais tradicionais corredores comerciais da Capital, é um esqueleto a ser carregado pelo prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), ao término dos seus oito anos de mandatos.

A avaliação é feita pelo jornalista Carlos Alberto Alencar que, em seu comentário no Jornal Alerta Geral (FM 104.3 – Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + Facebook, Instagram e YouTube), definiu a “Monsenhor Tabosa” como um cemitério de lojas fechadas e centenas de empregos sepultados.

Carlos considera que, embora muitos estabelecimentos tenham sido fechados por conta da crise econômica, a prefeitura de Fortaleza, nos seis anos de ciclo de poder sob o comando de Roberto Cláudio, nada fez para revitalizar a Avenida, enquanto, segundo o analista de economia, milhões de reais serão gastos para alargar uma faixa da Avenida Beira Mar.

Acompanhe a análise completa:

Leia a Anterior

O suficiente para os três pontos

Leia a Próxima

“Frustração para quem se preparava para concursos”: Beto Almeida analisa a decisão do Governo para contingenciar despesas