João Jaime defende prorrogação de mandatos de dirigentes de consórcios e, em 90 dias, institua critérios técnicos para mudanças

O deputado estadual João Jaime (DEM) sugeriu, nesta quarta-feira, 3, em aparte a um pronunciamento do deputado Osmar Baquit (PDT), na Assembleia Legislativa, que o Governo do Estado prorrogue por 90 dias a vigência de mandatos dos atuais dirigentes dos consórcios regionais de saúde e, em seguida, sejam implantados critérios técnicos para escolha dos diretores dessas entidades. Os consórcios,  em parceria com a administração estadual, definem ações de atendimento a população. 
João Jaime chamou atenção para outro grave problema enfrentado pelos consórcios de saúde: as dívidas que ficam acumuladas. Citou, como exemplo, o consórcio que engloba cidades da Região do Cariri que acumula dívidas da ordem de R$ 5 milhões. 


Antes das palavras de João Jaime, o deputado Jeová Mota (PDT), em aparte ao pronunciamento do deputado Carlos Felipe (PC do B), denunciou que o consórcio regional dos Sertões de Crateús está prejudicado porque, entre os 11 prefeitos da Região, cinco deixaram de assinar um documento que permite ao Governo do Estado liberar recursos para o funcionamento de unidades de saúde.

Os consórcios são responsáveis pelo acompanhamento do funcionamento de Policlínicas, UPAS e Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) O deputado estadual Agenor Neto (MDB) denunciou, na semana passada, o uso político dos consórcios com prejuízos ao atendimento da população.

O deputado estadual Osmar Baquit (PDT) destacou, nessa quarta-feira, o anúncio feito pelo Secretário de Saúde, Carlos Alberto, Dr. Cabeto, para solucionar os impasses que marcam o funcionamento dos consórcios. 

Baquit citou que, entre os critérios para definição dos cargos dos dirigentes do comando dos consórcios, anunciados pelo Secretário de Saúde, estão os índices de melhoria da saúde da população nos municípios. 

A proposta do deputado João Jaime, para prorrogação do mandato  dos atuais dirigentes dos consórcios por 90 dias e, em seguida, adoção de critérios para escolha dos dirigentes dessas entidades, ganhou apoio entre os colegas parlamentares. O deputado estadual Salmito Filho (PDT) destacou a importância dos consórcios para a saúde da população e disse que já necessidade de critérios técnicos, de padronização de gestão e disse que o problema não é de política, mas sim de politicagem.

Leia a Anterior

Marcha a Brasília: prefeitos do Ceará querem obras e verbas da União

Leia a Próxima

Assembleia implanta, nesta sexta, Frente Parlamentar em Defesa do BNB