Médico acusado de estuprar pacientes tem pedido de habeas corpus adiado mais uma ves

A defesa de Hilson aponta a falta de contemporaneidade do caso, alegando que após seis meses desde a última denúncia houve prescrição.

Na manhã desta terça-feira (03) o pedido de liberdade do médico e prefeito afastado de Uruburetama, José Hilson Paiva, foi adiado mais uma vez. A apreciação pela 3° Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) foi encerrada após o pedido de vistas da desembargadora Marlucia de Araújo bezerra e ainda não há prazo para o caso ser retomado.

José Wilson Paiva é acusado de estuprar e filmar pacientes durante consultas ginecológicas. A sessão desta terça foi presidida pelo desembargador Francisco Lincoln Araújo e Silva, relator do caso e presidente da 3ª Câmara Criminal.

Após a sustentação oral da defesa, o desembargador relator apresentou um parecer favorável à soltura do médico. Antes do voto dos outros magistrados, entretanto, houve o pedido de vistas e a sessão foi encerrada.

O julgamento do habeas corpos já havia sido adiado anteriormente no dia 26 de agosto e foi remarcado para esta terça-feira

A prisão de José Hilson foi decretada pela Justiça por considerar a medida necessária para preservar as provas. Ele está preso desde o dia 19 de julho de 2019 na Unidade Prisional Irmã Lima Pontes, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia a Anterior

Perda do emprego e redução da renda são principais causas da inadimplência no país, aponta pesquisa

Leia a Próxima

Previsão de crescimento do PIB em 2019 passou de 0,80% para 0,87%