Obras da Linha Leste do metrô avançam no Centro de Fortaleza

As duas tuneladoras que serão utilizadas para escavar os túneis até o Papicu já estão com suas montagens bem adiantadas, dentro do shaft (emboque), de onde partirão.

Foto: reprodução.

O Secretário da Infraestrutura do Ceará, Lucio Gomes, acompanhou nesta semana os trabalhos no canteiro de obras da Linha Leste, localizado no Centro da cidade. No trecho, que será o ponto de partida da nova linha, os serviços se dividem em várias frentes.

“Temos um canteiro de pouco mais de um quilômetro de extensão, exatamente onde a Linha Leste começa. Nessa área, haverá duas estações e o início da perfuração dos túneis. Por isso, concentramos diversas atividades básicas da obra, como a montagem das tuneladoras, que são as máquinas que escavarão os túneis, e a fabricação dos anéis de concreto, que vão revesti-los”, explica o secretário.

As duas tuneladoras que serão utilizadas para escavar os túneis até o Papicu já estão com suas montagens bem adiantadas, dentro do shaft (emboque), de onde partirão. Enquanto isso, a fábrica de aduelas (anéis estruturais que revestem e dão estabilidade aos túneis) entrará em fase de testes nos próximos dias, para posterior início da produção das peças de concreto.

Os serviços também avançam nas contenções e escavações do trecho onde será construída a Estação Chico da Silva da Linha Leste, que será a primeira subterrânea da nova linha. A execução dos trabalhos, que contam com cerca de 496 colaboradores, foram acompanhados também pela equipe da Coordenadoria de Transportes e Obras da Seinfra e por engenheiros do consórcio construtor.

Mais informações da Linha Leste

Além das obras no canteiro do Centro, a Seinfra iniciou, em junho, a construção da Estação Colégio Militar, no bairro Aldeota, que é a segunda das quatro estações previstas no percurso da linha. O equipamento será subterrâneo e terá três pavimentos: bilheteria, mezanino e plataforma de embarque.

No total, a Linha Leste terá 7,3 quilômetros de extensão e contará com quatro estações subterrâneas (Chico da Silva, Colégio Militar, Nunes Valente e Papicu). Além disso, o contrato prevê a construção de uma Estação de superfície, que servirá de terminal para a Linha Oeste. Todo o empreendimento vai garantir a integração da Linha Leste com as linhas Sul e Oeste, no Centro, e com o VLT Parangaba-Mucuripe e o terminal de ônibus, no Papicu. Após concluído, terá capacidade para transportar até 150 mil passageiros por dia. O tempo de viagem entre o Centro e o Papicu será de 15 minutos.

Leia a Anterior

Começam a tramitar na AL quatro projetos de parlamentares

Leia a Próxima

65% dos micro e pequenos empresários não pretendem contratar crédito nos próximos três meses, aponta pesquisa