Pesquisa revela que 70% dos alunos cearenses gostariam de ter orientação com psicólogos

Uma pesquisa realizada no Ceará mostra que 70% dos estudantes da educação básica consideram “importante” ter psicólogos nas escolas para atendimento especializado. O levantamento, feito pela Nossa Escola em (Re)Construção, ouviu 756 alunos cearenses na faixa etária de 15 a 21 anos.

Do total, 38% também defenderam a presença de orientadores vocacionais nas unidades de ensino e, 24%, de assistentes sociais. O levantamento mostrou os jovens cearenses entrevistados gostariam de receber ajuda para descobrir suas vocações, sonhos e fazer escolhas de vida.

Atualmente, 30 psicólogos educacionais estão distribuídos nas 20 Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Crede) e nas três Superintendências das Escolas Estaduais de Fortaleza (Sefor), segundo a Secretaria Estadual da Educação (Seduc). Os profissionais precisam atender os 423 mil estudantes distribuídos em 728 instituições em todo o Estado.

A Seduc informou que os profissionais dão suporte a equipes técnicas das escolas em frentes pedagógicas que reforçam o desenvolvimento das “Competências Socioemocionais”, como “autogestão, amabilidade, engajamento com o outro, resiliência emocional e abertura ao novo”.

No dia 27 de novembro, o Congresso Nacional derrubou um veto do presidente Jair Bolsonaro sobre a garantia de atendimento de profissionais de psicologia e serviço social a alunos de escolas públicas. Assim, volta a valer uma proposta de lei que tramita desde 2007 e foi aprovada pelos deputados em setembro, mantendo equipes com essas categorias profissionais para atender aos ensinos fundamental e médio.

Leia a Anterior

Mais de 600 periquitos com risco de extinção foram encontrados no Maciço de Baturité

Leia a Próxima

Águas do Rio São Francisco chegam ao Ceará no final de março de 2020