Projeto Fábrica Escola expõe produtos criados por reeducandos no Fórum Clóvis Beviláqua

O projeto “Fábrica Escola” realiza, durante esta semana, mais uma edição da feira de produtos artesanais produzidos por reeducandos atendidos pela iniciativa. A exposição teve início nesta segunda-feira (06/03) e segue até sexta (10), das 8h às 17h, no pátio central do Fórum Clóvis Beviláqua.

Os interessados podem encontrar uma variedade de produtos que vão desde utensílios e enfeites para casa a produtos de uso pessoal. Entre as opções ofertadas estão bolsas de palha, vassouras feitas de garrafa PET, cabaças modeladas e brinquedos de tecido ou de madeira.

A servidora da 23ª Vara Cível de Fortaleza, Margarida Falcão, é apreciadora do trabalho realizado pelos reeducandos. “São feitas muitas coisas proveitosas por meio desse projeto, permitindo assim que estejam trabalhando, na ativa, se sentindo útil, e não fiquem na ociosidade”, afirma.

O PROJETO

A iniciativa se dedica a ressocializar e reintegrar à sociedade detentos dos regimes semiaberto e aberto, egressos do sistema prisional do Estado e seus familiares com humanismo, disciplina e trabalho. Os juízes Luciana Teixeira e Cézar Belmino, titulares da 2ª e 3ª Varas de Execução Penal de Fortaleza, respectivamente, são os idealizadores.

O projeto é fruto de parceria entre Poder Judiciário, por meio das Varas de Execução Penal, Ministério Público, Defensoria Pública, Universidade Estadual do Ceará (Uece), Associação Cearense de Magistrados (ACM), Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Fundação Deusmar Queirós, Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Ceará (OAB/CE), Sesc, entre outras instituições públicas e particulares.

Com informação da A.I

Leia a Anterior

#MêsdaMulher: Hospital César Cals faz programação especial para mulheres

Leia a Próxima

Número de assinantes de banda larga fixa cresceu 4,96% no ano passado