Protesto em defesa da Amazônia e contra Bolsonaro percorre ruas de Fortaleza

Grupo começou a se reunir por volta de 16 horas na Praça Portuga

Da Praça Portugal, na Aldeota, centenas de pessoas seguem rumo ao Náutico, na Praia do Futuro, em Fortaleza, para se manifestar em defesa da Amazônia e contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL). A principal crítica diz respeitos às políticas ambientais impostas pelo atual governo. Até agora, mais de 20 mil hectares da Amazônia foram incendiados, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). As queimadas se tornaram uma crise internacional. Presidentes de outros países, como Estados Unidos, Alemanha e França, já se posicionaram sobre o assunto.

Em Fortaleza, o ato ocorre desde as 16 horas. Grupos contrários ao presidente discursam em defesa da Amazônia. Lideranças políticas e indígenas estiveram no local para reforçar a defesa da maior floresta do mundo. Apresentações artísticas também ocorreram.

Entre os políticos presentes estavam Ailton Lopes, João Alfredo, Renato Roseno, todos do PSOL; e Larissa Gaspar, do PT.

Na noite de sexta-feira, 23, Bolsonaro fez discurso na TV defendendo suas politicas ambientais. A postura veio após a crise ganhar corpo nas redes sociais e na mídia internacional. No entanto, a noite foi marcada pelo retorno do panelaço em regiões da classe média alta. As panelas foram batidas em Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro e em outras cidades do País. O presidente autorizou o uso das Forças Armadas no Pará e no Tocantins para combater focos de incêndio.

Leia a Anterior

Construção civil impulsiona crescimento de empregos no Ceará em julho

Leia a Próxima

Relatório de Tasso Jereissati sobre a reforma da Previdência deve ser enviado nesta semana