Sarampo: profissionais de saúde devem seguir medidas de proteção

Ministério da Saúde recomenda que gestores e trabalhadores de saúde expostos ao vírus estejam vacinados e busquem cuidados para evitar a propagação do sarampo nas unidades de saúde

O Ministério da Saúde alerta que os profissionais de saúde das redes pública e privada devem aderir medidas protetivas e cuidados para evitar a propagação do sarampo nas unidades de saúde do país.

Esse é o objetivo de um conjunto de recomendações encaminhadas, nesta semana, pelo Ministério da Saúde às Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, responsáveis por repassar aos serviços de saúde.

Entre as orientações está que todos os trabalhadores dos serviços estejam vacinados, recebam treinamentos periódicos em relação a segurança e riscos biológicos no trabalho, além do remanejamento das gestantes que prestam assistência diretamente aos casos suspeitos de sarampo em todo país.

O sarampo é uma doença respiratória grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. A transmissão ocorre quando a pessoa doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Os primeiros sinais da doença são: febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso.

Os sinais e sintomas da doença, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, aparecem em torno de 3 a 5 dias e em seguida se espalham pelo corpo. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Leia a Anterior

Comissão define nesta quarta-feira primeiros convidados para debater Previdência

Leia a Próxima

Projeto prevê desconto de 50% no IPTU para pessoas que adotarem cachorros em situação vulnerável em Juazeiro do Norte