UFC pede urgência no julgamento do pedido de reintegração e manutenção de posse da reitoria da instituição

A Universidade Federal do Ceará (UFC) emitiu nova petição prestando esclarecimentos e pedindo urgência no julgamento do pedido de reintegração e manutenção de posse da reitoria da instituição. A universidade processa os manifestantes que protestam contra o novo reitor, Cândido Albuquerque, desde sua nomeação. Segundo o documento enviado nesta quarta-feira (11) à Justiça, “o ambiente na reitoria ficou extremamente hostil” para que o reitor assumisse suas funções.

Os estudantes, professores e técnicos-administrativo da UFC ocuparam a reitoria depois que o presidente Jair Bolsonaro nomeou Cândido Albuquerque para o cargo de reitor, no dia 19 de agosto. Ele foi o candidato com menor número de votos na consulta pública realizada na universidade. Durante os atos, manifestantes bloquearam acessos ao prédio para impedir a entrada do reitor. Em resposta, Albuquerque entrou com uma ação de reintegração de posse em 26 de agosto.

“Importa esclarecer que, após a nomeação do Professor Cândido, o ambiente na reitoria ficou extremamente hostil para que ele assumisse suas funções”, diz a petição. O texto, além de reiterar o posicionamento original da universidade, diz que, se for necessário, reforço policial poderá ser solicitado para garantir a entrada do reitor no prédio.

“Vem a UFC reiterar a apreciação urgente da liminar requerida, esclarecendo-se que a Polícia Militar, mediante solicitação da Polícia Federal ou do Setor de Infraestrutura da UFC, poderá intervir na reitoria para garantir a entrada e saída do Reitor e o normal funcionamento do prédio”, pontua o documento.

Leia a Anterior

Pacujá, Meruoca e Sobral são as próximas estações musicais do Sesc Sonoridades

Leia a Próxima

Governo vai desbloquear R$ 20 bilhões até o fim do ano, diz Mourão