Uso correto da cadeirinha é importante para postura e segurança da criança

Já é de conhecimento comum que, em caso de impacto, a cadeirinha evita a projeção das crianças para fora dos veículos, impedindo que o acidente se torne fatal.

Foto: Reprodução.

As férias de julho já chegaram e as famílias estão intensificando os passeios e viagens de carro com a criançada. Entre os itens indispensáveis antes de pegar a estrada, está a cadeirinha.

“A cadeirinha infantil nos veículos é essencial para o transporte de crianças”, afirma Francisco Vasconcelos, ortopedista pediatra e cirurgião do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), do Governo do Ceará.

De acordo com o especialista, o equipamento também ajuda a imobilizar, evitando lesões graves, além de dar conforto.

Já é de conhecimento comum que, em caso de impacto, a cadeirinha evita a projeção das crianças para fora dos veículos, impedindo que o acidente se torne fatal. No entanto, segundo Francisco Vasconcelos, a proteção da cadeirinha é ainda mais ampla.

“O bebê-conforto, por exemplo, é fundamental para apoiar a cabeça do bebê, evitando o risco de trauma da coluna cervical. Mas para isso o dispositivo deve ser instalado corretamente, virado para o banco traseiro e bem firme”, orienta o médico.

Uso em todos os transportes

Como unidade de atenção terciária da rede estadual de saúde, a maior parte dos pacientes atendidos pelo Albert Sabin é de baixa renda, utiliza ônibus e vans municipais para se locomover.

“Carro não é a realidade de todos. Mas aqueles que têm podem e devem usar a cadeirinha. E os adolescentes e adultos que usam bancos traseiros devem usar cinto de segurança também, têm a mesma função: segurança. Aliás, se o ônibus e a vans municipais tiverem cinto, usa também”, orienta o médico.

Ortopedia

O ambulatório de ortopedia do Hias funciona de segunda a sexta-feira, das 7 às 17 horas. Em média, 766 consultas por mês são realizadas. Para o primeiro atendimento, o paciente é encaminhado de um posto de saúde ou outra unidade de saúde por meio da Central de Regulação. O Hospital Albert Sabin é referência no tratamento de crianças com doenças crônicas e raras, como pé congênito e escoliose grave, por exemplo.

Leia a Anterior

Governo lança programa de incentivo ao voluntariado

Leia a Próxima

XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará confirma novos nomes